Out 23

Em audiência pública, população aprova tratamento de esgoto

A proposta do tratamento de esgoto de Pompéu foi apresentada para a população nesta segunda-feira (22/10), em audiência pública na Câmara Municipal. Aprovada pelos presentes, a proposta prevê a celebração de convênio de cooperação entre o Município e a Copasa para a implantação do sistema de esgotamento sanitário e efetivo tratamento de esgoto da cidade, proporcionando mais qualidade de vida à população.

A audiência contou com a presença do prefeito Ozéas da Silva Campos, dos vereadores, diretores da Copasa, além de lideranças comunitárias e representantes da comunidade.

Durante a audiência, Ozéas apresentou os detalhes do projeto como a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e interceptores ao longo do Córrego Mato Grosso, obras de infraestrutura nos bairros Santa Cruz, Distrito Industrial e Dona Joaquina e desenvolvimento de projetos ambientais. Na apresentação, o chefe do Executivo ressaltou ainda que a cobrança da tarifa de esgoto ocorrerá somente após a finalização total da obra e efetivo tratamento do esgoto na cidade. E por isso, até o tratamento existir, a conta de água não muda.

Daniel Aguiar, gerente regional da Copasa, reforçou o compromisso da concessionária e convidou o público presente para conhecer o serviço de tratamento de esgoto da Copasa na cidade de Curvelo, com a recuperação efetiva do Córrego Santo Antônio.

Durante a audiência a população manifestou o seu apoio ao projeto destacando os benefícios para a população. O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Pompéu, Antônio Carlos Barbosa Álvares, afirmou que esteve em Curvelo e conheceu de perto o sistema. “Eu fiquei com inveja da cidade de Curvelo. Estamos no século 21 e acredito que a população vai ganhar muito com isso. É a única chance que temos para revitalizar nossas nascentes e peço que os vereadores pensem na população e no produtor rural”, falou o presidente.

Sargento Vieira da Polícia Militar de Meio Ambiente relatou os prejuízos ao meio ambiente devido a falta do tratamento de esgoto. “São mais de 15 pontos de lançamento de esgoto in natura no Córrego Mato Grosso. Não é possível jogar pra frente esta decisão. O Município tem que resolver este problema pois não ter o esgoto tratado em 2018 é um atraso. Além do impacto ambiental, tem a economia para a saúde também”, destacou o militar, integrante do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Codema).

Moradores do bairro Dona Joaquina e Morro Doce também estiveram presentes para apoiar a iniciativa do Executivo. João Carlos do Nascimento cobrou as obras de saneamento básico para o bairro que estão previstas, caso o projeto seja aprovado. “Moro há 8 anos no bairro Dona Joaquina e estamos vendo uma luz no fim do túnel com esse projeto para ter acesso a água potável, que é um direito nosso. Por isso, imploramos para os vereadores aprovarem o tratamento de esgoto, sem partidarismo”, afirmou o morador.

O tratamento de esgoto de Pompéu será debatido em nova audiência pública na próxima segunda-feira (29/10), às 17 horas, na Câmara Municipal. Toda a população é convidada a participar.

Notícias mais lidas