Ago 24

Boletim Epidemiológico

Vigilância em Saúde: um breve panorama.

Resumo


O objetivo deste boletim é apresentar um breve panorama da situação da Vigilância em Saúde do município de Pompéu, referentes aos dados do segundo quadrimestre de 2017, como um derivado das ações de análise rotineira dos dados, a qual, constitui valiosa fonte de informação sobre a ocorrência de agravos e doenças, bem como das ações de Vigilância em Saúde desenvolvidas no território. As notificações de agravos/doenças foram retiradas do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e (SINAN on line), totalizando 183 notificações, sendo as mais frequentes Violência Interpessoal (20,21%), Acidentes por Animais Peçonhentos (20,21%) e Atendimento antirrábico (19,12%) em relação às 183 notificações registradas.

Introdução


A Vigilância em Saúde tem por objetivo a observação e análise permanentes da situação de saúde da população, articulando-se em um conjunto de ações destinadas a controlar determinantes, riscos e danos à saúde de populações que vivem em determinados territórios,
garantindo-se a integralidade da atenção, o que inclui tanto a abordagem individual como coletiva dos problemas de saúde, e encontra junto à Atenção Primária, a retaguarda técnica de apoio especializado em detrimento do cumprimento dos condicionantes pactuados entre as esferas de governo, como o Programa de Monitoramento das Ações de Vigilância em Saúde. A Vigilância em Saúde de Pompéu conta com o apoio de profissionais que abrangem os departamentos de Vigilância Sanitária, Zoonoses e Endemias, Educação em Saúde e Epidemiologia. Destacam-se neste segundo quadrimestre de 2017 a realização da 1ª Conferência Municipal de Vigilância em Saúde, ao qual, apresentaram-se ao público os trabalhos realizados e ouviram-se os presentes quanto às propostas de melhorias municipais que foram encaminhadas aos níveis estadual e federal, para possíveis formulações de políticas que propiciassem o adequado atendimento e funcionamento do setor. Além disso, foi realizado o Mutirão de Limpeza Urbano, com o propósito de reduzir os lixos inservíveis, ou seja, possíveis criadouros/focos do mosquito Aedes aegypti, antes mesmo do início do período de epidemia da Tríplice Arbovirose (Dengue / Zika / Chikungunya) e uma parceria com as Secretarias de Meio Ambiente e Urbanismo, cujo Projeto de Intensificação ao Combate ao Culex, permitiu a abertura de espaço para adentrar à vegetação próxima ao córrego onde corre esgoto a céu aberto e para a redução do quantitativo de água empoçada em torno da Área de Preservação Permanente, a fim de se alcançar uma maior condição de eliminação e controle do Aedes aegypti e do pernilongo Culex, com utilização de maquinário pesado e leve.  

Métodos


Foram utilizados dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e (SINAN on line) e da base manual de apoio técnico. Para análise dos dados, utilizaram-se cálculos da variação proporcional. A análise dos dados foi realizada por meio dos programas Word e Excel.

Resultados e discussão


A Vigilância em Saúde busca a melhor forma de organizar a situação de saúde local através de uma integração da rede de serviços de saúde do SUS, fortalecendo a articulação para a tomada de decisão e o planejamento das ações de Vigilância em Saúde. No período de 01/05/2017 até 15/08/2017, foram notificados 183 casos de agravos/doenças, sendo frequentes Violência Interpessoal (20,21%), Acidentes por Animais Peçonhentos (20,21%) e Atendimento antirrábico (19,12%), seguidos por Varicela 14,75%), Intoxicação Exógena (7,65%), Dengue (6,01%), Sífilis não Especificada (4,37%), Acidente de Trabalho Grave e por exposição a material biológico (4,37%), Síndrome do Corrimento Uretral (1,63%),  Sífilis em Gestante (0,54%), Leischmaniose Tegumentar Americana (0,54%) e Chikungunya (0,54%). Referente ao Mutirão de Limpeza Urbano, foi realizada a contratação de 20 profissionais em caráter temporário para esta função, aos quais, trabalharam em conjunto com os Agentes de Combate a Endemias, resultando-se, neste período citado, na coleta de 31 tratores e 1 e 1/5 caminhão de lixo inservível.

Tabela

Recomendações


O caminho para o avanço da saúde está diretamente relacionado à operacionalização da atenção integral à saúde que valide a articulação do bem estar social, não apenas ao meio público, mas também concernente ao meio privado que poderá ser potencial fonte para a questão da saúde coletiva de uma população.

Referências


1. BRASIL. Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vol. 48. Número 18, 2017;
2. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes Nacionais de Vigilância em Saúde. 1ª Edição. Série B. Textos Básicos de Saúde. Série Pactos pela Saúde 2006, v. 13. Brasília (DF), 2010.

Notícias mais lidas